NOTÍCIAS



Azeite Virgem

É o óleo extraído das azeitonas, frutos da oliveira ou Olea europaea , depois de separado da água de vegetação e isento de partículas da pele, da polpa, do caroço e da amêndoa. Para obter 1 litro de azeite virgem são necessários 5 Kg de azeitona.

A extracção do azeite realiza-se por meios mecânicos ou processos físicos de capilaridade e tensão superficial. Ao contrário do que acontece com os óleos vegetais, não são admitidos para este óleo, solventes ou métodos químicos de extracção. O azeite distingue-se por se tratar de uma gordura proveniente da polpa da azeitona, ao contrário dos restantes óleos alimentares que são obtidos a partir das sementes de diversas espécies vegetais. Deste modo o azeite é considerado um óleo da polpa de um fruto.
A gordura do azeite é fundamentalmente constituída por triacilgliceróis, os quais possuem elevado teor em ácido oleico (superior 78%), baixo teor em ácidos gordos saturados, e teores reduzidos de ácidos polinsaturados, em particular ácido linolénico (inferior a 1,5%), principal responsável por alterações das gorduras por processos oxidativos. As suas características encontram-se definidas na NP-972 (1989) e no Jornal Oficial das Comunidades Europeias L248 (1991).

O azeite é a gordura mais saudável para a alimentação humana.

O seu preço mais elevado em relação aos restantes óleos vegetais justifica-se por:

* Melhor aroma e sabor (produto natural que mantém na sua constituição compostos voláteis particulares, responsáveis pelo aroma, os quais, conjuntamente com outros componentes químicos responsáveis pelo sabor, resultam num conjunto de sensações olfactivas-gustativas e tácteis, denominadas flavor, que permitem distinguir o azeite virgem de um óleo alimentar).

* Maior valor nutritivo (produzido por processos naturais, é uma gordura que tem na sua constituição para além dos ácidos gordos característicos, vitamina E e provitamina A, substâncias nutrientes e antioxidantes naturais, que no seu conjunto lhe conferem um valor alimentar e biológico muito próprio e único).

* Menor alteração a altas temperaturas (pela sua composição é a gordura que menos se altera nos processos de fritura dos alimentos).

* Grande poder de convservação

Desde épocas remotas que o azeite foi utilizado quer como paliativo para diversos males, quer em cerimónias religiosas e ritos pagãos como óleo das unções. Usava-se ainda na higiene humana, sob a forma de banhos, óleo de massagem e veículo de fragâncias finas, para além da sua utilização em candeias. Actualmente é reconhecido o grande valor do azeite na saúde humana:

O azeite e as doenças cardiovasculares
O azeite não eleva a taxa de colesterol no sangue provocando pelo contrário a redução dos seus teores. Aumenta a percentagem das lipoproteínas de alta densidade (HDL) no sangue, o que tem como consequência diminuir o risco de enfarte. Desfavorece a agregação das plaquetas sanguíneas e reduz assim o risco de trombose arterial.

O azeite e as funções digestivas
O azeite é facilmente digerido e completamente absorvido pelo sistema.
O azeite reduz a acidez gástrica e tem uma acção eficaz de protecção contra úlceras e gastrites. É indispensável para o processo biliar e digestivo, sendo ainda um laxante suave que não irrita os intestinos, nem provoca contracções fortes na vesícula.

O azeite, os ossos e o sistema nervoso
O azeite, pela sua composição química, favorece o crescimento normal ósseo e permite melhor mineralização do osso, tanto na criança como no adulto. O azeite tem ainda influência positiva na prevenção dos efeitos nocivos da idade sobre as funções cerebrais e sobre o envelhecimento dos tecidos e dos órgãos em geral.

 
http://www.cienciaviva.pt/projectos/pulsar/azeite.asp


Azeite Virgem